Formatos de arquivo de áudio comuns

Quer esteja ouvindo música, escolhendo uma trilha sonora para o seu filme caseiro ou gravando um programa de rádio, existe uma enorme variedade deformatos de áudio à sua escolha. Para algumas pessoas, pode parecer óbvio usar um formato específico, mas não há uma resposta correta. Tudo depende do seu espaço no disco rígido e se o seu software de áudio suporta o arquivo. Abaixo, descrevemos as diferenças entre formatos populares, dividindo suas vantagens e desvantagens. 


Procurando música de alta qualidade para sua produção?
O Shutterstock oferece faixas de alta qualidade com preços simples e diretos.
Comece a explorar agora.


Formatos de arquivo com perdas
embora esses arquivos compactados tenham uma qualidade de som menor, eles ocupam muito menos espaço e são suportados pela maioria dos reprodutores de áudio. Usada por softwares de streaming como Pandora e Spotify, a compactação com perdas alcança seu pequeno tamanho descartando pedaços de dados do arquivo original, mantendo o som aproximado. 

MP3: de longe o formato de áudio mais popular, o MP3 tornou-se famoso durante o auge do Napster. MP3s podem ser criados com uma gama de taxas de bits, mas a maioria é de 128, 192 ou 320 kbps. A Amazon e muitas outras lojas de mídia ainda usam o MP3 como formato padrão, e para o ouvinte de música comum, a qualidade é mais do que suficiente. 

AAC: a versão de MP3 da Apple é chamada de AAC (ou Advanced Audio Coding) e é o formato principal vendido na Music Store. Destinado a ser uma versão melhor do MP3, o AAC é geralmente um formato de maior qualidade, com a taxa de bits usual em torno de 256 kbps. O YouTube também usa a conversão AAC para áudio enviado para seus servidores. 

WMA: finalmente, o Windows Media Audio é o formato de propriedade da Microsoft e, apesar de não ser suportado por tantos programas quanto o MP3, ainda faz um trabalho útil. 

Formatos de arquivo sem perdas
Diferente da compactação com perdas, os arquivos sem perda retêm todos os dados de áudio originais, o que geralmente os fazem soar muito melhor. Entretanto, essa abordagem também resulta em tamanhos de arquivo muito maiores, portanto, eles podem não ser realistas para o player de áudio ou smartphone médio. 

FLAC: Sigla de Free Lossless Audio Codec, o FLAC é o formato sem perdas mais comum. Embora o iTunes não ofereça suporte, há muitos programas que o fazem e o som é muito mais impressionante do que o MP3. Com efeito, você obtém um som de qualidade de CD com 40 a 50% do tamanho de um arquivo descompactado. Ele também suporta metadados, para que você possa adicionar informações sobre a música e incorporá-la ao arquivo. 

ALAC: esta é a versão da Apple do formato FLAC (Apple Lossless Audio Codec), que é de código aberto e pode ser copiado de CDs físicos. 

Formatos de arquivos descompactados
Por fim, os arquivos descompactados são cópias exatas do áudio original, sem qualquer redução no tamanho. Isso os torna os formatos maiores e de mais alta qualidade disponíveis. Pode não fazer sentido transferir arquivos descompactados para o seu reprodutor de MP3, mas para arquivar áudio ou mixá-lo em um ótimo sistema de som, eles são a melhor opção digital.    

WAV: apesar de seu tamanho, o formato de arquivo Waveform Audio é extremamente popular. Projetado pela Microsoft e pela IBM em 1991, o formato preserva o áudio com qualidade de CD e pode ser reproduzido na maioria dos softwares. Entretanto, diferente dos outrosformatos de arquivo de áudio, o WAV não oferece suporte completo para metadados. Isso significa que você provavelmente precisará colocar informações relacionadas à música no próprio nome do arquivo. 

AIFF: como a Apple não suporta FLAC, os usuários do iTunes que desejam áudio não compactado compram músicas no formato AIFF (Audio Interchange File Format). Este é o formato proprietário da Apple e tem qualidade comparável a WAV e FLAC.  

  • Este artigo foi útil?

Não consegue encontrar o que você está procurando?