De forma geral, acredita-se que o pensamento criativo é algo com que as pessoas nascem. Sim, é verdade que algumas pessoas têm essa capacidade em maior medida que outras, mas todos temos a capacidade de melhorar nosso próprio estímulo criativo. Veja essas cinco técnicas baseadas em pesquisas para impulsionar sua capacidade de abrir sua mente e ter ideias inovadoras.

1. Saia de sua zona de conforto

Avião criativo, de Ischmidt

Quando confrontada com um desafio, a maioria das pessoas tende a permanecer em sua zona de conforto e escolher o caminho de menor resistência mental, explorando ideias que já foram experimentadas, testadas e que funcionaram no passado. Contudo, estabelecer restrições para o seu trabalho e forçar você mesmo a sair de sua zona de conforto pode motivá-lo a criar soluções originais e interessantes.

Dr. Seuss escreveu Green Eggs and Ham após seu editor apostar que ele não conseguiria produzir um livro com menos de 50 palavras. Se quiser estimular sua criatividade, experimente fazer o que Dr. Seuss fez: quebre sua rotina e force você mesmo a fazer as coisas de forma diferente da que está acostumado.

2. Crie uma distância psicológica

Estrada nas Ilhas Canárias, Espanha, de Michael Thaler

Bloqueios mentais são incrivelmente irritantes e têm a tendência de ocorrer nos momentos mais críticos. Algumas vezes, distanciar-se fisicamente pode ser útil para superar um obstáculo, mas distanciar-se psicologicamente também pode ser extremamente útil. Quanto mais desvinculado do problema você se sente, mais motivado a pensar de maneira abstrata você fica, o que, por sua vez, aumenta sua capacidade de ter novas ideias.

Existem diversas formas de criar essa distância, e todas envolvem mudar a forma como você pensa sobre o problema. O objetivo é imaginar a tarefa como totalmente desassociada de sua posição, local e até mesmo momento atuais.

Diversos estudos sugerem que nós produzimos mais soluções criativas quando estamos solucionando problemas de outras pessoas. Portanto, uma estratégia eficaz é imaginar que você está tomando a decisão em nome de outra pessoa. Qual conselho você daria a ela? Quais opções ela tem? Quais são os possíveis resultados para cada opção? Como você sugeriria que ela resolvesse o problema?

3. Concentre-se no problema

Castelo de areia, de Zurijeta

Uma vez, Albert Einstein fez a seguinte observação: “Se eu tivesse uma hora para resolver um problema e minha vida dependesse da resposta, eu gastaria os primeiros 55 minutos pensando nas possíveis perguntas a serem feitas. Pois assim que tivesse as perguntas corretas, poderia solucionar o problema em menos de 5 minutos”.

Quando somos confrontados com uma pergunta, normalmente concentramos nossos esforços em tentar pensar em uma solução. Entretanto, é fascinante conhecer a abordagem um pouco diferente de algumas pessoas extremamente criativas. Pesquisas mostram que, antes de tentar elaborar uma solução, a atenção delas está primeiramente voltada para redefinir o problema. Isso envolve examinar a pergunta de vários ângulos e perspectivas, tudo isso pensando em obter um conhecimento mais profundo sobre o problema.

Ao desenvolver um entendimento mais completo e abrangente sobre o problema, estaremos muito mais preparados para criar formas eficientes e inovadoras de solucioná-lo.

4. Preste atenção em seu humor

Lindo bebê sorridente, de Max Bukovski

O seu humor ao longo do dia pode afetar enormemente sua criatividade. Em geral, observa-se que emoções positivas melhoram de forma mais intensa e consistente nossos processos criativos, embora emoções negativas também podem ser benéficas.

De acordo com um estudo da Rice University, as emoções negativas “nos alertam sobre o que está faltando, fazem com que nos concentremos no estado atual do assunto em vez de concepções pré-existentes, e nos motivam a exercer altos níveis de esforço para melhorar a questão”.

Por outro lado, “participantes com humor positivo demonstram pensamentos divergentes, idealização fluida e categorização flexível, fazem associações incomuns e apresentam bom desempenho com problemas de raciocínio rápido, associações de palavras incomuns e tarefas de solução de problemas heurísticas”.

O que podemos extrair disso é que emoções diferentes afetam a criatividade de formas diferentes, e em diferentes etapas de um processo criativo. Por exemplo, se você estiver prestes a iniciar um projeto, estar com um humor negativo por ajudá-lo a ver áreas que precisam ser melhoradas, o que, por sua vez, pode dar a você a motivação necessária para finalmente iniciar a tarefa. Por outro lado, se você estiver no meio de um projeto e encontrar desafios inesperados, estar com um humor positivo fará com que você fique mais aberto à ideias e acessível à mudanças. Preste muita atenção em como você está se sentindo durante o dia e tente canalizar isso para tirar o melhor proveito criativo.

5. Esteja preparado para cometer erros

Estúdio de pintura, de Eugenio Marongiu

Por fim, nada restringe mais o pensamento criativo do que o medo de errar. Para pensar com a mente aberta, é essencial que você esteja preparado para correr riscos e cometer erros. Se não estiver, você irá parar antes mesmo de começar.

Tire sua atenção de tudo o que pode dar errado (é mais provável que seu mundo não desabe) e, em vez disso, concentre-se em tudo o que você tem a ganhar. Algumas vezes, nossos melhores trabalhos surgem a partir de nossos erros.

Em busca de mais motivação para começar? Explore nossa mesa de luz abaixo com imagens selecionadas que falam de pensamento criativo em ação.

Pense com a mente aberta

Você tem outras estratégias para estimular soluções criativas? Adoraríamos ouvi-las nos comentários abaixo!

Imagem no topo: Menina e aquarelas por Kuttelvaserova Stuchelova